sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

FORMATURA DO 9º ANO DO COLEGIO ANA NERY



 Solenidade de Colação de Grau



A conclusão do curso certamente é  a celebração do estudante de uma grande conquista . A cerimônia de Formatura é um dos mais belos momentos da jornada. Com ela se compartilha a alegria com os entes mais queridos, assim como, expressa o reconhecimento para aqueles que, de alguma forma,  contribuíram para essa vitória.


Além disso, a Solenidade de Colação de Grau é um momento de magnitude da Instituição de Ensino, quando dirigentes, professores, funcionários, pais e alunos externam seus sentimentos para provar que a missão de ensinar foi cumprida e o esforço valeu a pena.


A festa serve para matar três coelhos com uma só cajadada.
1º) Os pais se sentem orgulhosos de verem os filhos concluindo a primeira etapa de aprendizagem escolar.
2º) Os filhos fortalecem a auto-estima e imaginam que "continuar estudando" será bom muito gratificante para eles e para as outras pessoas.
3º) Os professores, que tem um trabalho dos diabos de ensinar crianças a virarem gente,conciliando repasse de conhecimento com educação doméstica negligenciada pelos pais, merecem comemorarem a ocasião. 


Para os mestres, um gozo pela conclusão efêmera de uma curta etapa. Conclusão de uma tarefa hercúlea.

Resta saber se a festa encarada pela ótica dos professores é fruto da satisfação de concluírem uma etapa importante ou por se livrarem do pesado fardo de exaustivamente tentarem suprir a ausência familiar. 

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Terremoto na zona rural de Petrolina e Dormentes

 Tremor de terra causa pavor entre moradores da zona rural de Petrolina e Dormentes

  Um tremor de terra foi sentido por moradores das localidades de Caititu, Atalho e Cruz de Salinas, na zona rural de Petrolina. O fato ocorreu no último sábado (03), por volta das 13h, e provocou pânico entre os moradores.

Segundo informações recebidas pelo Blog Carlos Brito, o tremor chegou a ser sentido também nos povoados de Caatinga Grande e São Bento, no município de Dormentes (PE), sertão do São Francisco.
Pelo que se sabe até o momento, não foi possível calcular o grau do temor devido à inexistência de um sismógrafo na região. Mas não há registro de prejuízos nem de feridos. Em Caititu e Atalho o tremor foi mais intenso, chegando a derrubar objetos e até a causar desmaios em algumas pessoas.

Terremotos no Brasil



Destruição causada por um terremoto
Os terremotos são fenômenos que podem ser causados por falhas geológicas, vulcanismos e, principalmente, pelo encontro de diferentes placas tectônicas. A maioria dos abalos sísmicos é provocada pela pressão aplicada em duas placas contrárias. Portanto, as regiões mais vulneráveis à ocorrência dos terremotos são aquelas próximas às bordas das placas tectônicas. Na América do Sul, os países mais atingidos por terremotos são, o Chile, Peru e Equador, pois essas nações estão localizadas numa zona de convergência entre as placas tectônicas de Nazca e a Sul-Americana.
O Brasil está situado no centro da placa Sul-Americana, no qual ela atinge até 200 quilômetros de espessura, e os sismos nessa localidade, raramente possuem magnitude e intensidade elevadas. No entanto, existe a ocorrência de terremotos no território brasileiro, causados por desgastes na placa tectônica, promovendo possíveis falhas geológicas. Essas falhas, causadoras de abalos sísmicos, estão presentes em todo o território nacional proporcionando terremotos de pequena magnitude; alguns deles são considerados imperceptíveis na superfície terrestre.


Segundo o Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (USP), no século XX foram registradas mais de uma centena de terremotos no país, com magnitudes que atingiram até 6,6 graus na escala Richter. Porém, a maior parte desses abalos não ultrapassou 4 graus.
Em 1955, no Mato Grosso, foi detectado um terremoto de 6,6 graus na escala Richter. Nesse mesmo ano, o Espírito Santo foi atingido por um abalo sísmico de 6,3 graus e no Ceará, foi registrado um terremoto de 5,2 graus na escala Richter, em 1980.
O estado do Amazonas, em 1983, sofreu com um terremoto de 5,5 graus, entretanto, pelo fato de esses terremotos terem atingido áreas com pouca concentração populacional, não houve danos materiais e nem vítimas.

Moradores de Cupira e Belém de Maria, na Zona da Mata e Agreste de Pernambuco, estão assustados com a frequência dos tremores de terra que vêm atingindo a região. Desde o último fim de semana, foram registrados pelo menos 60 pequenos abalos nos municípios. O maior teve intensidade de 2,8 graus na escala Richter.


Embora sem grandes estragos, os tremores provocaram rachaduras nas paredes de algumas casas e estão deixando a população insegura. Por isso, pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) resolveram instalar seis sismógrafos em Belém de Maria até o próximo domingo (25).

Os sismógrafos vão monitorar o solo e ajudar a identificar a área exata aonde os tremores vêm ocorrendo. Segundo os estudiosos, esta é a primeira vez que tremores de terra são registrados em Belém de Maria. Há pouco mais de um mês, o município pernambucano de Alagoinha também sentiu sucessivos abalos, sendo o maior de magnitude 3,2 graus.

Pernambuco, Ceará e o Rio Grande do Norte são os Estados com maior atividade sísmica do Brasil. Estudos da Universidade Federal do Rio Grande do Norte já identificaram falhas geológicas e vários fragmentos de rochas antigas sob a Região Nordeste, que favorecem os abalos. Os eventos ocorrem por acomodações nas camadas geológicas e são sempre de baixa profundidade.
João Câmara, município do Rio Grande do Norte e habitado por 31.518 pessoas, foi atingido por uma série de terremotos na década de 1980. O mais grave deles ocorreu no dia 30 de novembro de 1986, quando a cidade tremeu com um abalo sísmico de 5,1 graus na escala Richter, provocando a destruição de 4 mil imóveis.


Em Minas Gerais, no município de Itacarambi, um terremoto de 4,9 graus promoveu um tremor que durou aproximadamente 20 segundos, tempo suficiente para derrubar 6 casas e abalar a estrutura de outras 60 residências. Nessa ocasião, uma criança de cinco anos morreu soterrada nos escombros de uma das casas atingidas.
O último grande terremoto registrado no Brasil ocorreu no dia 22 de abril de 2008. Um tremor de 5,2 graus foi sentido nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo, embora não tenha sido registrado nenhum desabamento, nem a ocorrência de vítimas.
 

sábado, 3 de dezembro de 2011

O raio nunca cai duas vezes no mesmo lugar ? Raio cai no mesmo lugar 50x se quiser


 Diz a expressão popular que o raio nunca cai duas vezes no mesmo lugar. Será verdade ? Claro que o raio cai duas vezes no mesmo lugar

Esta é uma das mais violentas manifestações da natureza. Manifestação que, em uma fração de segundos, pode produzir uma carga de energia tão alta cujos parâmetros podem chegam a:
  • 125 milhões de volts
  • 200 mil ampères 
  •  25 mil graus centígrados
Para que um raio possa ocorrer é necessário que existam cargas de sinais opostos entre nuvens ou entre nuvens e o solo, quando isso ocorre, a atração entre as cargas é tão grande que provoca a descarga elétrica. Tais cargas foram nomeadas de cargas positivas e cargas negativas por Benjamin Franklin, por volta de 1750, século XVIII, quando esse realizou grandes descobertas sobre a eletricidade. Além de identificar o sinal das cargas, positivas e negativas, Franklin demonstrou de modo experimental que os raios são um fenômeno de natureza elétrica.
Os raios podem ser classificados de acordo com sua origem, assim, eles podem ser:


  • Da nuvem para o solo;
  • Do solo para a nuvem;
  • Entre nuvens.
Um raio dura em média meio segundo. Nesse intervalo de tempo vários fenômenos ocorrem, entre eles os fenômenos físicos e climáticos. De acordo com a variação do clima os raios podem ser mais ou menos intensos. Algumas regiões do planeta têm tendência para a formação de descargas elétricas, originando os raios.


A formação de um raio ocorre de forma rápida e violenta. Essa formação se dá a partir da grande diferença de potencial entre as cargas, positivas e negativas, entre nuvens e o solo ou até mesmo entre nuvens, e quando o campo elétrico de uma nuvem supera o limite de capacidade dielétrica do ar atmosférico, que normalmente varia entre 10000 volts/cm e 30000 volts/cm, dependendo das condições locais. O ar que está entre as cargas, ao se ionizar, torna-se condutor, permitindo assim que ocorra uma forte descarga elétrica. Devido a essa forte ionização do ar que está entre as cargas elétricas em movimento é que ocorrem os chamados relâmpagos, que é a parte visual de um raio. A parte sonora ocorre em virtude do aquecimento brusco e da rápida expansão do ar, produzindo assim uma forte pressão que se manifesta através do trovão, parte sonora. Sendo assim, relâmpago e trovão são conceitos diferentes, mas que tem origem no mesmo fenômeno, o raio.
A ionização da nuvem ocorre em razão das milhares de colisões das partículas de gelo que se encontram no seu interior, esta é uma das teorias aceitas. Outra causa, que não exclui a primeira, estaria em efeitos resultantes da diferença de condutividade elétrica do gelo em face das diferenças de temperatura no interior da nuvem. Durante as colisões, as partículas de gelo se rompem, perdendo elétrons e transformando em íons, o que torna a nuvem eletricamente carregada.


Mecanismos de defesa contra raios.

As consequências das descargas elétricas de um raio podem ser desastrosas, em razão da grande quantidade de energia que é liberada durante a descarga. Foram criados vários dispositivos que protegem contra os raios, porém o mais conhecido deles é o para-raios, criado por Benjamin Franklin após a descoberta da eletricidade e do raio.
Outras medidas preventivas podem ser tomadas no intuito de manter-se seguro contra raios. Medidas como:
Evitar condutores, tais como: antenas, água, materiais elétricos, etc.
Durante uma tempestade evitar lugares abertos, não ficar sob árvores, elevações, etc.
Não tomar banho, pois no caso de uma descarga de alto potencial a água pode conduzir energia elétrica.

domingo, 20 de novembro de 2011

DIA NACIONAL DA CONCIÊNCIA NEGRA - ESCOLA MUNICIPAL LUIZ RODRIGUES DE ARAÚJO

Retrato da discriminação e Zumbi – líder do quilombo
Retrato da discriminação e Zumbi – líder do quilombo
 
No dia 20 de novembro comemora-se o Dia Nacional da Consciência Negra, em homenagem à morte de Zumbi, líder do Quilombo dos Palmares.

O quilombo era uma localidade situada na Serra da Barriga, onde escravos se refugiavam. Com o passar dos anos, chegou a atingir uma população de vinte mil habitantes, em razão do aumento das fugas dos escravos.
Os escravos serviam para fazer os trabalhos pesados que o homem branco não realizava, eles não tinham condições dignas de vida, eram maltratados, apanhavam, ficavam amarrados dia e noite em troncos, eram castigados, ficavam sem água e sem comida, suas casas eram as senzalas, onde dormiam no chão de terra batida.
Muitas pessoas eram contra essa forma de tratar os negros e várias tentativas aconteceram ao longo da história para defender seus direitos. Em 1871 a Lei do Ventre Livre libertou os filhos de escravos que ainda iriam nascer; em 1885 a Lei dos Sexagenários deu direito à liberdade aos escravos com mais de sessenta anos.
Mas Princesa Isabel foi a responsável pela libertação dos escravos, quando assinou a Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, dando-os direito de ir embora das fazendas em que trabalhavam ou de continuar morando com seus patrões, como empregados e não mais como escravos.
O dia da consciência negra é uma forma de lembrar o sofrimento dos negros ao longo da história, desde a época da colonização do Brasil, tentando garantir seus direitos sociais.
Hoje temos várias leis que defendem esses direitos, como a de cotas nas universidades, pois acredita-se que, em razão dos negros terem sido marginalizados após o período de escravidão, não conseguiram conquistar os mesmos espaços de trabalho que o homem branco.
Na época da escravidão os negros não tinham direito ao estudo ou a aprender outros tipos de trabalho que não fossem os braçais, ficando presos a esse tipo de tarefa.
Muitos deles, estando libertos, continuaram na mesma vida por não terem condições de se sustentar.
O dia da consciência negra é marcado pela luta contra o preconceito racial, contra a inferioridade da classe perante a sociedade. Além desses assuntos, enfatizam sobre o respeito enquanto pessoas humanas, além de discutir e trabalhar para conscientizar as pessoas da importância da raça negra e de sua cultura na formação do povo brasileiro e da cultura do nosso país.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Projeto Aguas do Velho Chico - Escola Municipal Luiz Rodrigues de Araújo



Localização e informações geográficas 


O rio São Francisco, popularmente conhecido por “Velho Chico”, nasce na Serra da Canastra (Minas Gerais). Possui uma extensão de 2800 quilômetros e atravessa os estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas


O rio São Francisco desemboca no Oceano Atlântico e possui vários rios afluentes em sua bacia hidrográfica: Abaeté, das Velhas, Paraopeba, Jequitaí, Paracatu, Verde Grande, Urucuia, Carinhanha, Corrente e Grande.


O São Francisco possui uma grande importância econômica na região por onde passa, pois, é usado para navegação (em alguns trechos), irrigação de plantações e pesca. Em função desta importância, existe um projeto do governo federal que pretende fazer a transposição do rio para que as águas possam atingir regiões que sofrem com a seca nordestina.


 


O rio São Francisco também é uma importante via de transporte de mercadorias na região. Os principais produtos transportados, em embarcações especiais, são: sal, arroz, soja, açúcar, cimento, areia, manufaturados, madeira e alguns minérios. Há também o transporte de turistas, pois o passeio pelo rio é muito procurado.


Curiosidade
 
O rio São Francisco também é conhecido como rio da integração nacional.

domingo, 13 de novembro de 2011

PROJETO UMA VIAJEM PELO MUNDO - COLEGIO ANA NERY

  •  
  • Diâmetro equatorial: 12.756,28 km.  Valor adotado em 1976 pela União Astronômica Internacional (UAI) e pela União de Geodésia e Geofísica Internacional (UGGI) após medições com equipamentos modernos.  
  • Diâmetro polar: 12.713,5 km  
  • Densidade: 5,52  
  • Satélites: 1 (Lua)  

  • Distância ao Sol:  1 Unidade Astronômica (Em torno de 150 milhões de quilômetros)  
  • Área total do planeta: 510,3 milhões km2  
  • Área das terras emersas: 149,67 milhões km2  ( 29,31% )  
 Área dos mares e oceanos: 360,63 milhões km2 ( 70,69% ) 
  • Área do Oceano Pacífico: 179,25 milhões km2, incluindo Mar da China Meridional, Mar de Ojtsk, Mar de Bering, Mar do Japão, Mar da China Oriental e Mar Amarelo   ( 49,7% das águas )  

  • Área do Oceano Atlântico: 106,46 milhões km2, incluindo Oceano Ártico, Mar do Caribe, Mar do Norte,  Mar  Mediterrâneo, Mar da Noruega, Golfo do México, Baia de Hudson, Mar da Groenlândia, Mar Negro e Mar Báltico     (29,5% das águas)  
  • Área do Oceano Índico:  74,92 milhões km2, incluindo Mar da Arábia, Golfo de Bengala e Mar Vermelho (20,8% das águas)  
  • Profundidade média dos oceanos: 3.795 metros  

  • Volume total das águas do planeta: 1,59 bilhões km3  
  • Circunferência da Terra no equador: 40.075 km  
  • Circunferência da Terra nos trópicos: 36.784 km  


  • Circunferência da Terra nos círculos polares: 15.992 km  
  • Circunferência da Terra nos meridianos: 40.003 km  
  • Diferença entre as circunferências equatorial e meridional: 72 km  
  • Velocidade orbital média: 29,79 km/segundo  

  • Idade da Terra: Em 1654, um arcebispo irlandês calculou, com base em textos bíblicos, que a Terra teria se formado às 9 horas do dia 26 de outubro de 4.004 a.C.  Hoje, sabemos que a Terra tem em torno de 4,5 bilhões de anos.  O Big bang teria ocorrido há 15 bilhões de anos atrás; as Galáxias teriam se formado há 13 bilhões de anos; as Primeiras estrelas teriam surgido há 10 bilhões de anos; o Sol teria se formado há 5 bilhões de anos; e a Terra há 4,5 bilhões de anos. 
  •   


  • Estrutura da Terra 
    • Atmosfera: camada gasosa que vai até cerca de 1.000 km de altura  
    • Hidrosfera: conjunto das massas d'água, ocupando em torno de 70% da superfície  
    • Litosfera: camada superificial sólida, cuja espessura varia de 5 a 10 km sob os oceanos e de 25 a 90km nos continentes  
    • Manto: camada pastosa abaixo da litosfera ou crosta. Tem 2.900 km de espessura. Os elementos          predominantes são: silício, alumínio, ferro, magnésio. A temperatura varia de 870°C junto à crosta até 2.200°C junto ao núcleo  
    • Núcleo: região interior da Terra, composta de ferro e níquel derretidos. A temperatura varia de 2.200°C a  5.000°C no interior. A parte central é formada de níquel e ferro em estado sólido devido às grandes pressões  
  • Atmosfera: Formada basicamente de Nitrogênio 78,084%, Oxigênio 20,946%, Argônio 0,934%, Outros gases  0,036%  

    • Divisão pelo critério térmico:  
      • Troposfera: vai até 12km de altura. Temperatura de 20°C a -60°C. Gradiente térmico negativo. Aviões a jato e balões andam por esta região  
      • Estratosfera: vai de 12 a 50 km de altura. Temperatura de -60°C a -5°C. Gradiente térmico positivo. É onde fica a Camada de Ozônio. Nela também chegam os Balões Meteorológicos, Aviões Supersônicos, Nuvens geradas por explosões atômicas e Matéria de erupções de vulcões  
      • Mesosfera: vai de 50 a 80 km. Temperatura de -5°C a -95°C. Gradiente térmico negativo. Nela ocorrem as reflexões das ondas de rádio  
      • Termosfera: vai de 80 a 500 km. Temperaturas de -95°C a 1000°C. Gradiente térmico positivo. Auroras polares, Nuvens noctilucentes. Reflexão das ondas de rádio  
      • Exosfera: vai de 500 a 800 km. É a região que antecede o espaço sideral e onde ficam muitos dos satélites artificiais. As moléculas gasosas começam a libertar-se da gravidade terrestre.  
    • Divisão pelo critério das condições químicas:  
      • Homosfera: até 100 km. Composição constante e regular. Predominam nitrogênio e oxigênio  
      • Heterosfera: de 100 a 500 km. Distribuição irregular dos gases. Predominam hélio e hidrogênio  
      • Exosfera: Acima de 500 km. Os gases começam a escapar da atração terrestre  

    • Deriva dos continentes 
      • Há 400 milhões de anos havia o Pangea, que reunia todas as terras num único continente   
      •   Há 225 milhões de anos o Pangea se parte no sentido leste-oeste, formando a Laurasia ao norte e Gondwana ao sul.  

      • Há 60 milhões de anos a Terra assume a atual conformação e posição dos continentes.  

      • Atualmente, a África e a América do Sul se afastam 7 cm por ano, ampliando a área ocupada pelo oceano Atlântico.  O mar Vermelho está se alargando. A África migra na direção da Europa. A região nordeste da África está se partindo.  

      • Placas tectônicas: são os vários blocos em que a crosta está dividida. São separadas por grandes fendas vulcânicas em permanente atividade no fundo do mar, por onde o magma sobe para a superfície adicionando novos materiais à crosta, o que expande o fundo do mar e movimenta os blocos que formam a superfície em diferentes direções.   Ao se movimentar, as placas se chocam entre si e provocam alterações no relevo. Em cada choque, a placa que apresenta menor viscosidade (mais aquecida) afunda sob a mais viscosa (menos aquecida). A parte que penetra tem o nome de Zona de Subducção.  

      • Formação do relevo: o relevo da Terra é influenciado pela ação de vários agentes que são responsáveis pela sua formação, desgaste e modelagem. Alguns agentes são internos e outros externos. Os principais são:  
        • Agentes internos:  vulcanismo, tectonismo, abalos sísmicos.  
        • Agentes externos: ventos, chuvas, insolação, marés, animais, vegetação, ação do homem.  

        • Pontos mais altos do planeta 
          • Na Ásia: Everest, no Nepal/China (8848 m );  K2,  no Paquistão/China (8611 m );  Kanchenjunga, no Nepal/India (8597 m)  

          • Na América do Sul: Aconcágua (6959 m Argentina/Chile), Ojos del Salado (6880 m Argentina/Chile)  

          • Na América do Norte: McKinley (6194 m Alasca), Logan (5959 m Canadá)  
          • Na África: Kilimanjaro (5895 m  Tanzânia)  
          • Na Europa: Monte Elbrus (5642 m   Rússia),    Mont Blanc  (4807 m    França/Itália)  

          • Extremos geográficos 
            • Local mais chuvoso: monte Waialeale (Hawai, EUA) 11.680 mm anuais (Média de 974mm por mês). Chega a chover 350 dias por ano.  
            • Local mais seco: Deserto de Atacama, no Chile. Sem chuva durante 1571 anos (de 400 a 1971)  

            • Local mais quente: El Azizia, na Libia, com 58°C em 13/set/1922  
            • Local mais frio: Estação Vostok, na Antártica, com -89,2°C em 21/jul/1983  

            • Principais movimentos da Terra 
              • Rotação: em torno do próprio eixo em 23h 56min 4s. De Oeste para Leste. Velocidade de 1670 km/h no equador ou 0,47 km/s  
              • Revolução: em torno do Sol em 365d 5h 48min 45,97s  (365d 6h).  Velocidade  de 107.000 km/h ou  29,79 km/s. Com o eixo de rotação inclinado 23°27’ em relação ao eixo da eclíptica  
              • Precessão: O eixo da Terra faz um círculo em torno do eixo da eclíptica no período aproximado de 26 mil anos, fazendo com que mude a posição dos polos celestes. Há 4 mil anos, o polo norte estava próximo da estrela alfa Draconis. Hoje está a 1 grau da Estrela Polar ou alfa da Ursa Maior. Dentro de 12 mil anos estará próximo à estrela Vega ou alfa de Lira. Este movimento faz mudar também a posição do Ponto Gama por entre as constelações zodiacais. Hoje, o Ponto Gama está na constelação de Peixes (Era de Peixes), entrando em Aquário mais ou menos no ano 2.600  

              • Excentricidade da órbita: o movimento de revolução da Terra às vezes é mais achatado e outras vezes mais circular. Há 108 mil anos, era 3 vezes mais achatado do que hoje. Dentro de 24 mil anos, a excentricidade atingirá o seu mínimo, quando a órbita da Terra será quase um círculo.  

              • Deslocamento do Periélio: faz-se em 21 mil anos. Motivo: influências gerais dos planetas. O eixo maior da órbita da Terra (linha dos apsides) se desloca, fazendo com que o periélio e o afélio se mova também. A passagem de um periélio retornará à mesma data a cada 21 mil anos. Atualmente ocorre a 2 de janeiro. Daqui a 6.400 anos ocorrerá no equinócio de outono; daqui a 11.500 anos, no solstício de inverno; e dentro de 21 mil anos, novamente a 2 de janeiro, no solstício de verão.  
             
              • Variação da Obliqüidade: movimento de balanço que o eixo da Terra faz, chegando a um máximo de 24°30' e mínimo de 22° . Hoje, o eixo da Terra está inclinado 23° 27’ em relação ao Eixo da Eclíptica, decrescendo 47" por século. É um movimento que ocorre por causa de perturbações provenientes da ação conjunta dos planetas e do Sol ao longo da órbita anual de nosso planeta. 

            ALUNO NOTA 10 DO COLÉGIO ESTADUAL DONA GUIOMAR BARRETO MEIRA

            Motivação e incentivação da aprendizagem Para que haja uma aprendizagem efetiva e duradoura é preciso que existam propósitos de...