quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Surf na Pororoca - Um fenômeno assustador e fascinante


A pororoca pode ser um espetáculo aterrador ou fantástico dependendo de onde você estiver. Em segurança, pode-se presenciar a única ocasião em que o oceano Atlântico vence a resistência do rio. 


Normalmente, o rio Amazonas, por causa do grande volume de água consegue empurrar a água do mar por muitos quilômetros,mas durante a lua nova a situação se inverte. O choque dessas águas é tão intenso que se reflete em todos os estuários rasos dos rios que desembocam no golfo amazônico. 


 
No rio Araguari, alguns quilômetros acima do rio Amazonas, esse fenômeno pode ser melhor observado. As ondas atingem até 5m de altura e com sua força vão derrubando e arrastando árvores e modificando o leito do rio. Isso acontece todos os dias, mas é mais intenso entre abril e junho. Os índios do baixo Amazonas tem uma boa palavra para definir a pororoca: poroc-poroc significa destruidor.

 






A pororoca não acontece somente no estuário do Amazonas. Existe em alguns estuários e trechos finais de rios do litoral amazônico, que deságuam direto ou indiretamente no Atlântico. Na costa do Amapá, o fenômeno ocorre em quase todos os rios que ali desembocam e, de forma bem violenta, no estuário do rio Araguarí, no município de Cutias. Mais ao sul da foz do Araguari, nos rios e canais das ilhas de bailique, Curuá, Caviana, Janauaçu, Juruparí e Mexiana, o fenômeno se manifesta igualmente destruidor. 


O mesmo acontece nos trechos finais dos rios que deságuam nas costas norte e leste da Ilha de Marajó. Apesar de muitos comentários, o fenômeno não existe na baia de Marajó, no rio Pará e no estuário do rio Tocantins. A “pororoca” é antes de tudo um agente destruidor. A baixa costa do Amapá, de formação flúvio-marinha recente, está em longos trechos recuando constantemente devido ao ataque periódico das vagas das marés de lançantes à ação da pororoca nos estuários; correndo as margens destes últimos, o fenômeno vai alargando-se progressivamente, tornando-os cada vez mais raso. Veja alguns dados complementares: 


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Morte de Muamar Kadafi


]TRÍPOLI (Reuters) - O primeiro-ministro líbio, Mahmoud Jibril, disse na sexta-feira (horário local), citando um relatório forense, que o líder líbio deposto Muammar Gaddafi morreu de um ferimento a bala na cabeça quando foi atingido em fogo cruzado entre combatentes do governo interino e seus partidários após sua captura.


Relatos conflitantes surgiram sobre como exatamente Gaddafi morreu depois de ser capturado após um ataque aéreo da Otan atingir seu comboio, quando tentava romper o cerco à sua cidade natal.
'Vou ler a vocês um relatório do médico legista que examinou Gaddafi', disse Jibril em entrevista coletiva na capital Trípoli.


'Gaddafi foi retirado de uma tubulação de esgoto ... ele não mostrou qualquer resistência. Quando começamos a retirá-lo, ele foi atingido por uma bala no braço direito e quando eles o colocaram em um caminhão ele não tinha qualquer outro ferimento.'


'Quando o caminhão estava em movimento, ele passou no fogo cruzado entre os rebeldes e as forças de Gaddafi, quando ele foi atingido por uma bala na cabeça', disse Jibril, lendo o relatório.
'O médico legista não pôde dizer se (o tiro) veio dos rebeldes ou das forças de Gaddafi', disse Jibril.
Gaddafi estava vivo quando foi levado de Sirte, sua cidade natal e onde foi capturado, mas morreu poucos minutos antes de chegar ao hospital, declarou o primeiro-ministro.
Jibril afirmou que amostras de DNA e de sangue foram retiradas do corpo. Também foram colhidas amostras do cabelo de Gaddafi, mas o resultado acabou sendo 'falso', aparentemente confirmando rumores de que o temido ex-líder fez implantes de cabelo.


O Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia esteve em contato com o Tribunal Penal Internacional, que queria julgar Gaddafi por crimes contra a humanidade, disse Jibril.
O tribunal queria enviar um especialista legista para inspecionar o corpo antes do enterro, ele disse, mas após ter acesso ao relatório do próprio CNT, a corte concordou que isso não seria necessário.


 




O filho de Gaddafi, Mo'tassim, também foi morto nesta quinta-feira. 'Sobre Mo'tassim há uma ferida na cabeça, uma ruptura no crânio, cinco balas nas costas e uma no pescoço', disse Jibril.








quarta-feira, 19 de outubro de 2011

DICAS PARA O ENEM


                                     

O Enem é um exame individual, optativo, oferecido anualmente aos estudantes que estão concluindo ou que já concluíram o ensino médio em anos anteriores. Seu principal objetivo é possibilitar uma referência para auto-avaliação, a partir das competências e habilidades que estruturam o Exame.
O modelo de avaliação adotado pelo Enem foi desenvolvido com base na avaliação das estruturas mentais com as quais construímos continuamente o conhecimento, e não apenas na memória, que, mesmo tendo importância fundamental, não pode ser o único elemento de compreensão do mundo.

Enquanto os vestibulares costumam promover uma excessiva valorização dos conteúdos em si, a prova do Enem é interdisciplinar e contextualizada, colocando o estudante diante de situações-problemas e pedindo que, mais do que saber conceitos, ele saiba aplicá-los.
O Enem não mede a capacidade do estudante de assimilar e acumular informações, e sim o incentiva a aprender a pensar, a refletir e a "saber como fazer". Valoriza, portanto, a autonomia do jovem na hora de fazer escolhas e tomar decisões.
Para maiores informações visite o site ENEM:
http://www.enem.inep.gov.br/


A PROVA SERÁ NO DIA 26 DE AGOSTO DAS 13h ÀS 18h. O boletim individual de resultados sai na 2ª quinzena de Novembro.
CONTEÚDOS: A parte objetiva da prova do Enem é composta de 63 questões que não favorecem a "decoreba", não apresentam "pegadinhas" e nem exigem "macetes".

Ao contrário de muitos vestibulares, o Exame é multidisciplinar: não é dividido por disciplinas, mas procura reunir conhecimentos de diversas áreas em uma mesma questão, relacionando-os.


A prova do Enem avalia a capacidade do estudante em resolver situações-problema, que propõe interação com a questão e a reflexão sobre ela. Mais do que os conceitos decorados e macetes, o que conta é o conhecimento adquirido na vida escolar e no dia-a-dia.
A proposta de redação do Enem é baseada em diferentes textos e linguagens que tratam de temas atuais e nacionais. Estes textos estimulam a reflexão e a avaliação a respeito dos argumentos, informações, fatos e opiniões que apresentam. A partir dessa análise, o participante do Enem deve criar um novo texto argumentativo-dissertativo, onde apresente o seu ponto de vista.
Estão dispensados de pagar a taxa de inscrição para fazer o ENEM 2007:
- Alunos do terceiro ano do Ensino Médio de instituições públicas de ensino –federais, estaduais e municipais.
- Estudantes carentes do terceiro ano da rede particular, mediante preenchimento de declaração de carência impressa no verso da ficha de inscrição e desde que na mesma conste assinatura e carimbo da Direção da escola atestando a carência.
- Concluintes do Ensino Médio na modalidade de Educação de Jovens e Adultos.
- Egressos, ou seja, os participantes que terminaram o ensino médio em anos anteriores e que não tiverem condições de pagar a taxa de inscrição, desde que preencham e assinem a declaração de carência impressa no verso da ficha.
Se você não se enquadrar em nenhum desses casos, deverá pagar a taxa de R$ 35,00 (trinta e cinco reais) para fazer o ENEM 2007.    
O ENEM substitui o vestibular apenas nas Universidades ou Instituições de Educação Superior que assim o desejarem, pois essas instituições são autônomas e cabe a elas decidir se irão utilizar os resultados do ENEM e de que forma isso poderá ser feito.


Atualmente já são cerca de 500 Instituições de Educação Superior entre públicas e privadas que utilizam de alguma forma a nota do ENEM em seu processo seletivo.

Fonte: Portal do MEC

sábado, 8 de outubro de 2011

Passeio a Usina Hidrelétrica de Sobradinho - Colegio Ana Nery


A Usina Hidrelétrica de Sobradinho é um aproveitamento hidrelétrico localizado no Rio São Francisco, no estado da Bahia, cerca de 40 km a montante das cidades de Juazeiro/BA e Petrolina/PE e distante, aproximadamente 470 km do complexo hidroenergético de Paulo Afonso. A usina hidrelétrica tem uma potência instalada de 1.050.000 kW(1.050MW) e conta com 6 máquinas geradoras.

Projeto
O Aproveitamento Hidrelétrico de Sobradinho está instalada no São Francisco, principal rio da região nordestina, com área de drenagem de 498.968 km² , bacia hidrográfica da ordem de 630.000 km², com extensão de 3.200 km, desde sua nascente na Serra da Canastra em Minas Gerais, até sua foz em Piaçabuçu/AL e Brejo Grande/SE.

A Usina está posicionada no rio São Francisco a 748 km de sua foz, possuindo, além da função de geração de energia elétrica, a de principal fonte de regularização dos recursos hídricos da região.


Extensão
O reservatório de Sobradinho tem cerca de 320 km de extensão, com uma superfície de espelho d’água de 4.214 km² e uma capacidade de armazenamento de 34,1 bilhões de metros cúbicos em sua cota nominal de 392,50 m, constituindo-se no segundo maior lago artificial do mundo, garantindo assim, através de uma depleção de até 12 m, juntamente com o reservatório de Três Marias/CEMIG, uma vazão regularizada de 2.060 m³/s nos períodos de estiagem, permitindo a operação de todas as usinas da CHESF situadas ao longo do Rio São Francisco.


Panorama da Hidrelétrica de Sobradinho.

Eclusa
Incorpora-se a esse aproveitamento de grande porte uma eclusa, de propriedade da CODEBA - Companhia Docas do Estado da Bahia, cuja câmara tem 120 m de comprimento por 17 de largura permitindo às embarcações vencerem o desnível de 32,5 metros criados pela barragem, garantido assim a continuidade da tradicional navegação entre o trecho do Rio São Francisco compreendido entre as cidades de Pirapora/MG e Juazeiro/BA - Petrolina/PE.


Barragem

Barragem de Sobradinho.Compreendem o represamento de Sobradinho as seguintes estruturas:


Barragem de terra zoneada com 12.000.000 de m³ de maciço, altura máxima de 41 m e comprimento total de 12,5 km.
Casa de força com 6 unidades geradoras acionadas por turbinas Kaplan com potência unitária de 175.050 kW, totalizando 1.050.300 kW. 


Vertedouro de superfície e descarregador de fundo dimensionados para extravasar a cheia de teste de segurança da obra.
Tomada d’água com capacidade de até 25 m³/s para alimentação de projetos de irrigação da região.


Linha de transmissão
A energia gerada é transmitida por uma subestação elevadora com 09 transformadores monofásicos de 133,3 MVA cada um, que elevam a tensão de 13,8 kV para 500 kV.


A partir daí a conexão com o sistema de transmissão da CHESF é efetuada através da subestação seccionadora de Sobradinho 500/230 kV.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

510 anos do Rio Sao Francisco



A Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco tem grande importância para o país não apenas pelo volume de água transportado, mas também, por sua contribuição histórica e econômica. O Rio São Francisco é conhecido como "rio da unidade nacional”, aproximando o sertão do litoral e integrando homens e culturas, unindo as raças, costumes, e a religiosidade da população ribeirinha e o povos e comunidades tradicionais (indígenas, quilombolas, vazanteiros, geraiseiros, entre outros). Quinhentos anos depois de seu descobrimento, o Rio São Francisco é ainda o principal recurso natural que impulsiona o desenvolvimento regional. A fonte de vida e de riqueza de suas águas possibilita o múltiplo uso do seu potencial hídrico, para abastecimento humano, agricultura irrigada, geração de energia, navegação, piscicultura, lazer e turismo.


História Descoberto em 4 de outubro de 1501, pelos viajantes Américo Vespúcio e André Gonçalves, o Rio recebeu nome de São Francisco em homenagem a São Francisco de Assis. Os índios que habitavam a região o chamavam de Opara, que significa rio-mar. A exploração do rio pelos portugueses e pelos brasileiros se fez de forma lenta. As águas do rio, através da navegação (principal meio de transporte), facilitava o fluxo de gente e de negócios. Até a década de 50, os barcos faziam grandes percursos, interrompidos apenas nos trechos onde havia quedas d´água. Até meados do século XX a região se destacava pela pecuária. Somente quando se constituíram estradas é que a agricultura se fez presente na bacia do São Francisco.

Por três séculos, a atividade econômica de peso no Vale do São Francisco foi a pecuária. As atividades agrícolas eram reduzidas. Plantava-se o alimento de subsistência e de acordo com as cheias e secas do rio: arroz, feijão, milho, batata. Com a chegada das estradas, a agricultura foi virando negócio. O latifúndio foi se apropriando das margens do rio e expulsando os ribeirinhos para as áreas de sequeiro, para dentro da caatinga. Com o tempo os antigos ribeirinhos que não resistiram e não se organizaram foram expulsos pelos novos donos. Hoje o cultivo de várzea praticamente não existe mais porque o rio São Francisco, cheio de barragens, alterou o regime das águas: ele vaza conforme os interesses energéticos do País. Os novos tempos trazem agroindústrias que criam ilusão de fartura e estabilidade de emprego. 

Quando chegam os anos 80, a poeira baixa na beira do rio. Nas Minas Gerais proliferam os grandes plantios de eucalipto e soja. O gado já não anda mais solto e nem se desloca em tropas; é gado de raça, custoso de comprar e manter, geneticamente alterado, chique, não pode andar se espinhando nesse mundo árido. Atualmente em torno do Rio são muitos os problemas sociais, ambientais e políticos.

Transformae - Colégio Estadual Dona Guiomar Barreto Meira

Com arte e cultura, virada educacional movimenta escolas estaduais “Tomando Partido Pela Es...