quinta-feira, 31 de maio de 2012

Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães - Itagi / BA - Blocos Econômicos


Introdução

Com a economia mundial globalizada, a tendência comercial é a formação de blocos econômicos. Estes são criados com a finalidade de facilitar o comércio entre os países membros. Adotam redução ou isenção de impostos ou de tarifas alfandegárias e buscam soluções em comum para problemas comerciais.
Em tese, o comércio entre os países constituintes de um bloco econômico aumenta e gera crescimento econômico para os países. Geralmente estes blocos são formados por países vizinhos ou que possuam afinidades culturais ou comerciais. Esta é a nova tendência mundial, pois cada vez mais o comércio entre blocos econômicos cresce. Economistas afirmam que ficar de fora de um bloco econômico é viver isolado do mundo comercial.
Veremos abaixo uma relação dos principais blocos econômicos da atualidade e suas características.


UNIÃO EUROPÉIA
A União Européia ( UE ) foi oficializada no ano de 1992, através do Tratado de Maastricht. Este bloco é formado pelos seguintes países : Alemanha, França, Reino Unido, Irlanda, Holanda (Países Baixos), Bélgica, Dinamarca, Itália, Espanha, Portugal, Luxemburgo, Grécia, ÁustriaFinlândia eSuécia. Este bloco possui uma moeda única que é o EURO, um sistema financeiro e bancário comum. Os cidadãos dos países membros são também cidadãos da União Européia e, portanto, podem circular e estabelecer residência livremente pelos países da União Européia.
A União Européia também possui políticas trabalhistas, de defesa, de combate ao crime e de imigração em comum. A UE possui os seguintes órgãos : Comissão Européia, Parlamento Europeu e Conselho de Ministros.


NAFTA

Fazem parte do NAFTA ( Tratado Norte-Americano de Livre Comércio ) os seguintes países: Estados Unidos, México e Canadá. Começou a funcionar no início de 1994 e oferece aos países membros vantagens no acesso aos mercados dos países. Estabeleceu o fim das barreiras alfandegárias, regras comerciais em comum, proteção comercial e padrões e leis financeiras. Não é uma zona livre de comércio, porém reduziu tarifas de aproximadamente 20 mil produtos.



MERCOSUL

O Mercosul ( Mercado Comum do Sul ) foi oficialmente estabelecido em março de 1991. É formado pelos seguintes países da América do Sul : Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina. Futuramente, estuda-se a entrada de novos membros, como o Chile e a Bolívia. O objetivo principal do Mercosul é eliminar as barreiras comerciais entre os países, aumentando o comércio entre eles. Outro objetivo é estabelecer tarifa zero entre os países e num futuro próximo, uma moeda única.



PACTO ANDINO - COMUNIDADE ANDINA DE NAÇÕES

Outro bloco econômico da América do Sul é formado por: Bolívia, Colômbia, Equador e Peru. Foi criado no ano de 1969 para integrar economicamente os países membros. As relações comerciais entre os países membros chegam a valores importantes, embora os Estados Unidos sejam o principal parceiro econômico do bloco.



APEC
A APEC (Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico) foi criada em 1993 na Conferência de Seattle (Estados Unidos da América). Integram este bloco econômicos os seguintes países: Estados Unidos da América, Japão, China, Formosa (também conhecida como Taiwan), Coréia do Sul, Hong Kong (região administrativa especial da China), Cingapura, Malásia, Tailândia, Indonésia, Brunei, Filipinas, Austrália, Nova Zelândia, Papua Nova Guiné, Canadá, México, Rússia, Peru, Vietnã e Chile. Somadas as produções industriais de todos os países, chega-se a metade de toda produção mundial. Quando estiver em pleno funcionamento (previsão para 2020), será o maior bloco econômico do mundo.



ASEAN 
A ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático) foi criada em 8 de agosto de 1967. É composta por dez países do sudeste asiático (Tailândia, Filipinas, Malásia, Cingapura, Indonésia, Brunei, Vietnã, Mianmar, Laos, Camboja).

SADC
A SADC (Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral) foi criada em 17 de outubro de 1992 e é formada por 15 países da região sul do continente africano.



BENELUX 
Considerado o embrião da União Européia, este bloco econômico envolve a Bélgica, Holanda e Luxemburgo. O BENELUX foi criado em 1958 e entrou em operação em 1 de novembro de 1960.

Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães - Itagi / BA


 
Fé vs. Razão - conflito existente desde a Grécia antiga

Fé vs. Razão - conflito existente desde a Grécia antigaTradicionalmente, o capítulo da História da humanidade relativo ao tema “conflito entre razão e fé” é atribuído a um período medieval em que se travava um confronto entre os adeptos da boa nova, isto é, a religião cristã, e seus adversários moralistas gregos e romanos, na tentativa de imporem seus pontos de vistas. Para estes, o mundo natural ou cosmos era a fonte da lei, da ordem e da harmonia, entendendo com isso que o homem faz parte de uma organização determinada sem a qual ele não se reconhece e é através do lógos que se dá tal reconhecimento. Já para os cristãos, a verdade revelada é a fonte da compreensão do que é o homem, qual é sua origem e qual o seu destino, sendo ele semelhante a Deus-pai, devendo-lhe obediência enquanto sua liberdade consiste em seguir o testamento (aliança).
     Desse debate, surgem as formas clássicas de combinação dos padres medievais: aqueles que separam os domínios da razão e da fé, mas acreditam numa conciliação entre elas; aqueles que pensam que a fé deveria submeter a razão à verdade revelada; e ainda aqueles que as veem como distintas e irreconciliáveis. Esse período é conhecido como Patrística (filosofia dos padres da Igreja).
No entanto, pode-se levantar a questão de que esse conflito entre fé e razão representa apenas um momento localizado na história.

      A filosofia, tendo como característica a radicalidade, a insubordinação, a luta para superar pré-conceitos e estabelecer conceitos cada vez mais racionais através da história, mostra que, desde seu início, esta relação tem seus momentos de estranhamento e reconciliação. Por exemplo, na Grécia antiga, o próprio surgimento da filosofia se deu como tentativa de superar obstáculos oriundos de uma fé cega nas narrativas dos poetas Homero e Hesíodo, os educadores da Hélade.


      A tentativa de explicar os fenômenos a partir de causas racionais já evidenciava o confronto com as formas de pensar e agir (fé) do povo grego que pautava sua conduta pelos mitos. O próprio Sócrates, patrono da filosofia, foi condenado por investigar a natureza e isso lhe rendeu a acusação de impiedade. Mais tarde, a filosofia cristã se degladiou para fundamentar seu domínio ideológico, debatendo sobre os temas supracitados. Na era moderna, com encrudescimento da inquisição, surge o renascimento que apela à razão humana contra a tirania da Igreja. Basta olhar os exemplos de Galileu, Bruno e Descartes, que reinventaram o pensamento contra a fé cega que mantinha os homens na ignorância das trevas e reclamava o direito à luz natural da razão. A expressão máxima desse movimento foi o Iluminismo que compreendia a superação total das crenças e superstições infundadas e prometia ao gênero humano dias melhores a partir da evolução e do progresso.


      Hoje, essa promessa não se cumpre devidamente. O homem dominou a natureza, mas não consegue dominar as suas paixões e interesses particulares. Declarado como expropriado dos meios de produção e forçado a sobreviver, eis que o homem se aliena do processo produtivo e se mantém em um domínio cego, numa crença inconsciente de si e do outro (ideologia). O irracionalismo cresce à medida que se promete liberdade aos seres humanos a partir de outra fé: o trabalho. O homem explora e devasta o mundo em que vive e não tem consciência disso. E tudo isso para enriquecer uma classe dominante, constatando o interesse egoísta e classista.
        Parece, pois, que a luta entre razão e fé não é apenas localizada, mas contínua, já que sempre há esclarecidos, esclarecimentos e resistência a esses esclarecimentos. A razão se rebela com o estabelecido e quando se impõe, torna-se um dogma incutido nos homens de cada tempo. Numa linguagem hegeliana, uma tese que se torna antítese e necessita já de uma síntese para que a razão desdobre a si mesma.

DIA DO GEÓGRAFO - Parabéns meus caros colegas!!!!

 

DIA DO GEÓGRAFO

Dia do Geógrafo
Os geógrafos são profissionais que estudam a Terra. Mas como é isto? Eles sabem tudo sobre o revelo, o clima, a vegetação e os rios que constituem o nosso planeta.
Mas não é só isso! Também estudam economia, a distribuição geográfica populacional, as divisões políticas entre os países, as diferenças culturais e muito mais.
Pesquisam como as comunidades e habitantes se relacionam com o meio em que vivem!
Os geógrafos exercem um papel muito importante atualmente, cuidando do nosso planeta e auxiliando no planejamento urbano, no manejo de recursos naturais, no planejamento da construção de hidrelétricas e pólos industriais, que são fundamentais para a sociedade, mas que exigem responsabilidade para que o impacto ambiental seja o menor possível!
Algumas das atividades exercidas pelos geógrafos:
  • Ensino: leciona no ensino fundamental, médio e superior.
  • Planejamento urbano: planeja o crescimento e desenvolvimento de uma determinada região ou município.
  • Geografia física: estuda os aspectos físicos da Terra, como clima, solo e vegetação.
  • Geografia humana: interpreta os dados sociais e econômicos de uma população. Planeja a ocupação de áreas urbanas e rurais.
  • Geopolítica: analisa a relação entre espaço geográfico e a organização econômica, política e social de uma região, país ou bloco de países.
  • Meio ambiente: estuda os ecossistemas e previne impactos ambientais causados pela ocupação de terrenos. Faz o manejo de bacias hidrográficas.
  • Planejamento territorial e urbano: organização dos espaços urbanos ou rurais para a instalação de pólos industriais, barragens e outras grandes obras. 

    "Profissional que estuda a Ciência que tem por objeto a descrição da Terra na sua forma, acidentes físicos, clima, produções, populações, divisões políticas etc" 

    Fonte: Brasil Profissões

Professor merece respeito!!!! Estudantes da Bahia estão sem aulas há 51 dias por causa da greve

 

Com a adesão de professores da rede particular, mais de 900 mil alunos estão sem aulas. Nas escolas particulares, alunos do terceiro ano têm aulas. Na rede estadual, 1,3 milhão de alunos já perderam bimestre letivo.



Quem está tendo prejuízo são os estudantes da Bahia. A greve nas escolas estaduais já dura 51 dias. Com a adesão de professores da rede particular, mais de 900 mil alunos estão sem aulas.
“Eu quero voltar, quero concluir o terceiro ano. É o ano que todo mundo espera. Agora, chega ao terceiro ano, e acontece isso? Não é fácil, é muito complicado”, lamenta a estudante Maria Daltro.

O desabafo da estudante de 17 anos é por causa da greve dos professores das escolas estaduais da Bahia que completa 51 dias. Alunos e pais montaram nesta quarta-feira (30) um acampamento em frente à governadoria. “Eu só vou sair daqui quando eu ver os meus filhos na sala de aula”, afirma Antônio Mourão, pai de aluno.
Nas escolas particulares, só os alunos do terceiro ano estão tendo aulas. Os professores estão em greve desde a última terça. Eles pedem 14,8% de aumento. E os donos de escola oferecem 5,5%.



Na rede estadual, 1,3 milhão de alunos já perderam o bimestre letivo. Os professores pedem o cumprimento de um acordo assinado em novembro do ano passado. Nele, o governo se compromete a pagar a toda a categoria o percentual de reajuste do piso salarial nacional, que foi de 22,22%.

Como o acordo não foi cumprido, os professores entraram em greve no dia 11 de abril. Poucos dias depois, o governo enviou um projeto à Assembleia Legislativa aumentando os salários dos professores. O projeto foi aprovado. O problema é que estava diferente dos termos do acordo. O aumento aprovado foi de 6,5%.



“O estado não tem nenhuma condição, e isso foi dito ao sindicato, de fazer o repique de 22% sobre os salários, porque isso é inviável do ponto de vista do orçamento público”, declara o secretário da Educação da Bahia, Osvaldo Barreto.

“A categoria já predispôs a discutir o parcelamento, não importa de quantas vezes, mas ela quer sentar para negociar”, ressalta a vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB), Marilene Betros.

terça-feira, 22 de maio de 2012


Geólogos ouvidos pela Folha divergem sobre a causa do tremor de terra que destruiu casas no município mineiro de Itacarambi. Há quem diga que não ocorreu um terremoto no local. 



Para o geólogo Carlos Schobbenhaus, da presidência do CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais), ligado ao Ministério de Minas e Energia, e presidente da Sigep (Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos), os tremores não foram ocasionados por um terremoto.
"Quando anunciaram o local dos tremores, logo vi que se tratava de uma região de calcário e cavernas. Além das cavernas que podem ser visitadas, há outras subterrâneas em que os rios correm por dentro dessas rochas", diz Schobbenhaus.
Segundo ele, o efeito da água sobre as rochas causa um desmoronamento das pedras. "A água dissolve o calcário e vai aumentando o espaço oco dela.
Com a dissolução das rochas, podem ocorrer abalos internos, bem como a queda desses pedaços. A estrutura entra em colapso e isso se reflete na superfície e cria um tremor."
Já para Allaoua Saadi, geomorfólogo da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), é preciso de "um desmoronamento de rochas tremendo para causar tremores dessa magnitude". "Considerando que o sismo foi localizado a 2.000 metros de profundidade, não há condição nenhuma para ser ligado ao fenômeno do calcário, pois na região os sedimentos possuem espessura de 600 metros."
"A queda das rochas precisa ter condições de liberar uma energia equivalente a aproximadamente 32 mil toneladas de dinamite", afirma. 

 
Para Miguel Basei, geólogo da USP, não é possível fazer especulações. As duas hipóteses, afirma, têm que ser levadas em conta. "Se o epicentro foi no Brasil, foi uma movimentação da falha geológica ou acomodação associada ao abatimento do calcário em cavernas."
Na opinião de José Roberto Barbosa, técnico em sismologia do IAG (Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas), da USP, houve um sismo de características naturais na região, fruto de energias e tensões que foram sendo acumuladas ao longo dos anos.
Entretanto, Barbosa diz que somente os geólogos que acompanham de perto o local podem dizer se houve, por exemplo, desmoronamento de um teto de caverna.
O geólogo Cristiano Chimpliganond, da UnB, que visitou a comunidade de Caraíbas ontem à tarde, afirmou que nenhuma das hipóteses pode ser descartada. "É interessante que tenha surgido esse debate.
A movimentação de uma falha geológica pode ser causada por tensões locais." Segundo ele, dados sobre o tremor devem sair hoje, mas as causas das tensões na placa tectônica demandam um estudo maior. 



quinta-feira, 17 de maio de 2012

A seca no noderste em 2012


A dura vida do sertanejo


Dentre os muitos aspectos apresentados pela Região Nordeste o que mais se destaca é a seca, causada pela escassez de chuvas, proporcionando pobreza e fome.

A partir dessa temática é importante entender quais são os fatores que determinam o clima da região, especialmente na sub-região do sertão, região que mais sofre com a seca.

O Sertão nordestino apresenta as menores incidências de chuvas, isso em âmbito nacional. A restrita presença de chuva nessa área é causada basicamente pelo tipo de massa de ar aliado ao relevo, esse muitas vezes impede que massas de ar quentes e úmidas ajam sobre o local causando chuvas.

No sul do Sertão ocorrem, raramente, chuvas entre outubro e março, essas são provenientes da ação de frentes frias com característica polar que se apresentam e agem no sudeste. As outras áreas do Sertão têm suas chuvas provocadas pelos ventos alísios vindos do hemisfério norte.


No Sertão, as chuvas se apresentam entre dezembro e abril, no entanto, em determinados anos isso não acontece, ocasionando um longo período sem chuvas, originando assim, a seca.

As secas prolongadas no Sertão Nordestino são oriundas, muitas vezes, da elevação da temperatura das águas do Oceano Pacífico, esse aquecimento é denominado pela classe cientifica de El Niño, nos anos em que esse fenômeno ocorre o Sertão sofre com a intensa seca.

A longa estiagem provoca uma série de prejuízos aos agricultores, como perda de plantações e animais, a falta de produtividade causada pela seca provoca a fome.

Vegetação

No Sertão e no Agreste o tipo de vegetação que se apresenta é a caatinga, o clima predominante é o semi-árido, esse tipo de vegetação é adaptado à escassez de água.

Algumas espécies de plantas da caatinga têm a capacidade de armazenar água no caule ou nas raízes, outras perdem as folhas para não diminuir a umidade, todas com o mesmo fim, poupar água para os momentos de seca.



Rios temporários ou sazonais

Os rios que estão situados nas áreas do Sertão são influenciados pelo clima semi-árido, dessa forma não há grande incidência de chuvas.

A maioria dos rios do Sertão e Agreste é caracterizada pelo regime pluvial temporário, isso significa que nos períodos sem chuva eles secam, no entanto, logo que chove se enchem novamente.

Nas regiões citadas é comum a construção de barragens e açudes como meio de armazenar água para suportar períodos de seca.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Projeto Sistema Solar - Colegio Ana Nery

O sistema solar
O sistema solar

 
O sistema solar é um conjunto de corpos celestes que se encontram em um mesmo campo gravítico. Os corpos celestes acima citados são os planetas, as estrelas, o sol, os asteroides, os cometas, os meteoroides (meteoritos).


Existem várias teorias que tentam explicar a origem do Sistema Solar, porém a mais aceita diz que a formação do sistema se deu através de uma grande nuvem formada por gases e poeira cósmica que em algum momento começou a se contrair acumulando matéria e energia originando o Sol.


Em torno do sol os planetas realizam sua órbita de forma elíptica cada qual com suas próprias características como, por exemplo, tamanho, massa, densidade e gravidade. Os planetas que se encontram mais próximos do sol possuem composição sólida enquanto os planetas menos próximos possuem composição gasosa.



Dentre os outros corpos celestes, os asteroides são menores que os planetas e são compostos por minerais não voláteis. Os cometas são compostos por gelos voláteis que se estendem pelo núcleo, cabeleira e cauda. Meteoroides são compostos por minúsculas partículas que ao chegarem ao solo, caso aconteça, chamam-se meteorito. O Sistema Solar está contido na Via Láctea, que ainda abriga cerca de 200 bilhões de estrelas.



Transformae - Colégio Estadual Dona Guiomar Barreto Meira

Com arte e cultura, virada educacional movimenta escolas estaduais “Tomando Partido Pela Es...