segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

O INCRÍVEL PEIXE COM CABEÇA TRANSPARENTE QUE VIVE EM ALTO-MAR.

Este fantástico peixe barreleye tem os olhos na parte de trás da cabeça.
Habituado a viver nas profundezas escuras do mar, o animal desenvolveu uma única e incrivelmente útil capacidade para detectar predadores, esgueirar-se deles, e não tornar-se um potencial alimento – através da sua própria cabeça.
Durante a sua evolução, o Macropinna microstoma desenvolveu uma cabeça transparente, e seus olhos são capazes de se mover dentro da cabeça e olhar em diferentes direções.
Imagem
Olhos dianteiros: O peixe barreleye desenvolveu a habilidade única de mover seus olhos dentro de sua própria cabeça, podendo assim detectar predadores e alimentos nos mares escuros 
Vista de frente, a criatura parece ser um peixe comum. Mas as diferenças tornam-se evidentes quando olhado de lado ou de cima. Enquanto seu corpo é predominantemente escuro, a parte superior de sua cabeça é transparente, e os seus olhos são claramente visíveis.
Os cientistas acreditavam que o peixe barreleye só podia olhar para cima, mas eles descobriram recentemente que a criatura pode também olhar para a frente para alinhar a sua boca com os seus olhos. Segundo os biólogos, ele desenvolveu esse sentido poderoso de visão como o resultado de um meio ambiente severo nas profundezas.
O peixe, que tem poucos centímetros de comprimento, vive em uma grande profundidade, imediatamente abaixo de onde a luz solar penetra na água. Isto significa que as criaturas ao redor não podem ver claramente. Predadores ocultos acima não podem localizar o que está logo abaixo, mas podem olhar para cima e caçar pequenos peixes e plâncton.
Imagem
Único: A criatura espreita a profundidades de até 2,600 pés, onde o sol não pode penetrar e, quando avista um peixe menor ou plâncton, ele ataca da escuridão e rapidamente engole a sua presa
Quando uma presa adequada é identificada, o barreleye sai da escuridão e rapidamente ataca, engolindo suas presas.Para evitar olhar para o sol, quando se move em águas rasas, a criatura pode girar os olhos e olhar em frente para que possa ver onde está nadando.
Seus olhos brilham com uma incrível luz verde brilhante, e os investigadores acreditam que possa ter desenvolvido uma forma de filtrar a luz, o que lhe permite ignorar a luz solar e enxergar com a bioluminescência de pequenos peixes e medusas – seu prato preferido.
Os dois buracos que se parecem com olhos na parte da frente do peixe são órgãos olfativos, semelhantes as narinas humanas.
O barreleye tem um líquido cristalino sobre os seus olhos, mantido no lugar por uma membrana minúscula.
Se por qualquer razão ela rompe-se, os seus olhos ficariam expostos ao mar e à pressão que existe na profundidade entre 2000 e 2600 pés (600 a 800 metros), e isso iria matá-lo instantaneamente.

Um planeta infernal do tamanho da Terra.

Com a densidade parecida com a da Terra, sugerem os cientistas que ele é feito do mesmo material que compõe nosso planeta. Denominado Kepler-78b, é o menor exoplaneta já encontrado que se sabe, tanto em tamanho quanto em massa.


Kepler-78b, foi detectado este ano em dados a partir de agora, coletados na sonda espacial Kepler, da NASA, ele está localizado a 700 anos-luz da Terra na constelação de Cygnus. O puxão gravitacional do planeta faz sua estrela dançar para trás e para frente ligeiramente, o que comprime ou expande os comprimentos de onda da luz que a estrela emite. Duas equipes de astrônomos usaram a mudança de comprimento de onda da luz para calcular a velocidade com que as oscilações da estrelas ocorrem, a partir desta velocidade, eles calcularam a massa do planeta e, usando anteriormente medição do tamanho publicados, calcularam a sua densidade.
Reportagem publicada no dia 30 de outubro, na revista Nature . Uma equipe estima a que a densidade do planeta mede em torno de 5,3 gramas por centímetro cúbico; outras equipes sugerem que, por estimativas, a densidade é em torno de 5,57 gramas por centímetro cúbico. A densidade de 5,515 gramas por centímetro cúbico da Terra fica entre estas duas apresentadas, sugerindo que Kepler-78b é, como a Terra, feito de rocha com um núcleo de ferro.
Apesar de ser semelhante à Terra em tamanho e composição, Kepler-78b não chega nem perto de ser um paraíso carinhoso para a vida. O planeta gira em torno da sua estrela hospedeira a cada 8,5 horas, em uma órbita extremamente apertada, e suas temperaturas diurnas provavelmente são superiores a 2.000° Celsius.


 Fonte: https://www.sciencenews.org/article/earth-sized-hell-circles-faraway-star


segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Núcleo da Terra é 1000ºC mais quente que o imaginado.

Segundo os pesquisadores, os novos resultados apoiam os modelos geofísicos que predizem uma diferença de temperatura entre o manto sólido e o núcleo, explicando a intensidade do campo magnético da Terra.
Nucleo da terra



O núcleo do nosso planeta é composto principalmente por ferro em temperaturas de mais de 4.000 ºC, e uma pressão de 1,3 milhões de atmosferas. Desse modo, o ferro é líquido e flui como a água nos oceanos. Apenas exatamente no centro da Terra, a pressão e temperatura é ainda maior, e o ferro se solidifica novamente.






Para saber a espessura dos núcleos sólido e líquido e como a pressão aumenta à medida que o centro da Terra se aproxima, os pesquisadores analisam as ondas sísmicas que passam através da Terra.

Contudo, tais ondas não revelam a temperatura do centro da Terra, que tem suma importância no movimento do material do núcleo líquido e sólido. A diferença de temperatura entre o manto e o núcleo é o principal motor dos movimentos térmicos de larga escala, que assim como a rotação da Terra, agem como um dínamo para originar o campo magnético.

Para chegar a tais conclusões, os pesquisadores simularam em laboratório as condições do interior do nosso planeta, submetendo ferro à uma pressão de milhões de atmosferas através de bigorna de diamante. Para aquecer o ferro à 4.000 e 5.000 ºC, os cientistas utilizaram utilizaram potentes raios lasers.
O estudo provou que o fenômeno denominado recristalização acontece na zona externa da amostra de ferro, que foi proposto em 1993 por Reinhard Boehler.




quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Formatura do Colégio Dona Guiomar Barreto Meira - Extensão Massaroca


O sucesso é daqueles que batalham, e com toda certeza você é um dos merecedores desse sucesso. Parabéns pela formatura! Que a alegria da formatura hoje, fique para sempre em você, para que a felicidade também contagiem aqueles que da sua profissão se beneficiarem. meus parabéns! Pessoas grandes são aquelas que lutam por ideais, e hoje nesta formatura você prova ser parte desssas pessoas. Parabéns pela formatura! A sua conquista vai impulsionar outras buscas e abrir novos horizontes, sempre apontando para um futuro muito luminoso. Parabéns e muito sucesso! Por acreditar que este dia chagaria, você se esforçou e buscou a cada dia o seu sonho. Merecidamente venceu, e hoje os aplausos são todos para você!Parabéns, Fornando!





 Os que você alcançou hoje é uma pequena parte do que você ainda pode conquistar com o seu talento. Parabéns! O talendo, a força de vontade e a persistência trouxeram você até aqui. Parabéns! Esperamos que esta vitória seja o início de muitas outras conquistas.



E, como em todas as formaturas é dia de gratidão. Gratidão a ti meu, Deus. Autor da vida e de tudo o que existe. Gratidão aos pais, professores, funcionários, amigos. E todas essas pessoas que foram afinando as vozes para que o corpo pudesse entoar sua canção. A canção esta pronta. É só começar o espetáculo. A cada espaço de tempo, um sinal era tocado para que as pessoas se preparassem para o momento da estréia. A estréia é hoje. Tudo já foi ensaiado. É claro que sempre falta um detalhe aqui ou ali. Mas tudo está pronto para começar. E a vida aguarda os novos artistas. E o mundo está sedento do talento desses jovens que saem da gruta sem medo de enfrentar as feras que surgiram pelo caminho. Estão armados. Porque ter medo? Armados de valores,de conhecimento, de amor. Armados para derrotar o que deve ser derrotado e fazer tremular, no mais alto mastro, a bandeira da vida, iluminada com o sinal da paz.




O sonho está mais vivo do que nunca neste dia. A caverna já cumpriu sua missão. Não é possível mais viver em seus seguros espaços. É preciso sair para o mundo. É preciso deixar na caverna tantos momentos lindos que marcaram nossa história. Toda cumplicidade dos maestros que lá estavam e que anunciavam a luz que nos aguardava. É preciso levar da caverna os sentimentos corretos. A determinação de não nos acomodarmos com o que esta acontecendo de errado. Aprendemos que nunca deveríamos negligenciar os nossos valores, os nossos ideais. E seremos fieis a essa vocação. Hoje é o dia da formatura. E a emoção desse dia tem de ser um marco que nos proteja do crime da acomodação e da apatia. Que a juventude que temos seja eterna, e que desejo de mudar o mundo saia da utopia e habite a realidade. Esta é a nossa oração. Este é nosso interno amoroso. Estamos prontos. Saudosos de um passado recente. Mas prontos. Podem abrir as cortinas. O espetáculo vai começar. Proteja-nos, Senhor nesta e em todas as nossas apresentações. Não podemos desanimar.







sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Cometa Ison se desintegra ao passar perto do Sol, diz agência europeia!!

Após vestígios sumirem, ESA divulgou informação às 19h31 no Twitter. Ison se aproximou do nosso principal astro na tarde desta quinta-feira (28).

 A Agência Espacial Europeia (ESA) confirmou em sua conta no Twitter, às 19h31 (pelo horário de Brasília) desta quinta-feira (28), que o cometa Ison, mais conhecido como "cometa do século", se desintegrou ao passar "perto" do Sol nesta tarde.

Segundo a ESA, os cientistas que trabalham no Observatório Solar e Heliosférico (Soho) confirmaram a informação.
Mais cedo, a agência europeia já havia comentado na rede social que as últimas imagens analisadas indicavam um "adeus" ao Ison.
Segundo cientistas ouvidos pela agência Reuters, o cometa sumiu sem deixar traços de sua cauda brilhante nem de rocha ou poeira. Se o Ison ou qualquer grande fragmento tivesse sobrevivido à passagem de raspão pelo Sol, estaria visível a olho nu na Terra dentro de uma ou duas semanas.


A agência espacial americana (Nasa) também fez comentários em seu Twitter sobre a morte do cometa, e o comparou com o personagem da mitologia grega Ícaro, que construiu asas de cera para poder voar, mas, ao se aproximar demais do Sol, teve seu aparato derretido pelo calor e acabou caindo de forma fatal no mar Egeu.
 





A Nasa também citou a letra de uma música do americano Neil Sedaka, chamada "Breaking up is hard to do", em alusão à possível evaporação completa do cometa.
"Continuaremos aprendendo", finalizou a Nasa no post.








 O Ison chegou nesta quinta-feira a cerca de 1,2 milhão de quilômetros de distância do Sol. Segundo os astrônomos, seu núcleo de gelo e corria um grande risco de se desintegrar com o calor.
No auge da aproximação, o cometa se deslocava a maisde 350 km/s pela atmosfera solar. A essa distância, alcançou temperaturas de 2.760° C, o suficiente para vaporizar não só o gelo do corpo do cometa, mas também a poeira e as rochas dele.
O Ison foi descoberto em setembro do ano passado, quando ainda estava bem além de Júpiter. Ele podia ser localizado na constelação de Virgem, visto a partir da Terra.
O cometa se manteve relativamente calmo até o dia 1° deste mês, quando liberou uma grande quantidade de gás e poeira. No dia 13, houve uma segunda liberação de matéria, aumentando ainda mais sua atividade. Essas perdas de material foram causadas pelo intenso calor do Sol, cuja radiação atingiu o minúsculo núcleo do Ison à medida que ele se aproximava do astro.
 Jornada de 5,5 milhões de anos
O cometa enfrentou uma longa jornada de 5,5 milhões de anos até o centro do Sistema Solar.
"Não estou vendo nada que tenha surgido detrás do disco solar. Essa pode ser o prego no caixão", disse o astrofísico Karl Battams, do Laboratório de Pesquisa Naval, em Washington, durante uma transmissão ao vivo da TV Nasa.
"É triste que tenha aparentemente terminado dessa forma, mas vamos aprender mais sobre esse cometa", acrescentou.
Os cientistas acreditam que os cometas sejam vestígios congelados da formação do sistema solar, há cerca de 4,5 bilhões de anos. A família à qual o Ison pertence reside na Nuvem de Oort, localizada cerca de 10 mil vezes mais longe do Sol que a Terra.

 Ocasionalmente, um cometa da Nuvem Oort é gravitacionalmente empurrado para fora por uma estrela que passa, iniciando uma trajetória de milhões de anos até o interior do Sistema Solar. Modelos informatizados mostram que o Ison nos fazia sua primeira visita.
"Espero ver outro em breve", disse Dean Pesnell, cientista do projeto no Observatório de Dinâmica Solar da Nasa.


 

Peixe-remo encontrado na Califórnia pode ser o prenúncio de terremotos.

A espécie rara é conhecida por antecipar fenômenos e o aparecimento de dois exemplares em um curto período de tempo preocupa os moradores da região


Em um evento raro ocorrido em meados de outubro na costa sul da Califórnia, nos Estados Unidos, um peixe-remo gigante apareceu encalhado na areia. O que é ainda mais raro nessa situação é que outro exemplar da mesma espécie já havia sido encontrado na mesma situação poucos dias antes.
O peixe-remo é uma espécie que habita águas profundas e ver um desses animais pode ser considerado um marco na vida de uma pessoa. Então imagine ver dois deles! O aparecimento repentino dos animais em um período de tempo tão curto deixou a população preocupada com o risco de um terremoto surpreender o litoral da Califórnia.
 

De acordo com a crença japonesa, o peixe-remo é um “mensageiro do palácio do deus do mar”. Não é à toa que, pouco depois do terremoto Tohoku, que acometeu a costa do Japão e deu origem a um tsunami devastador em 2011, cerca de 20 peixes-remo surgiram nas praias da vizinhança. O mesmo fenômeno ocorreu no Chile antes de um terremoto que registrou 8,8 de magnitude em março de 2010.

Como são habitantes de águas profundas, os peixes-remo são “mais sensíveis aos movimentos das falhas ativas do que aqueles que vivem na superfície do mar”, explicou Kiyoshi Wadatsumi, que é especialista em sismologia. Isso explica porque esses animais sempre estiveram relacionados ao prenúncio de possíveis terremotos e até erupções vulcânicas.
Philip Hastings, da Universidade de San Diego, é um dos pesquisadores responsável por analisar os animais e afirma que não existem evidências científicas que comprovem a relação dessa espécie com os fenômenos naturais. Os peixes-remo encontrados pareciam saudáveis, mas serão testados para ver se não existem sinais de doenças ou até mesmo de radiação.
Embora relatos anteriores permitam que a população acredite no risco de um terremoto acometer o litoral da Califórnia, os pesquisadores acreditam que os animais estavam apenas desorientados e isso acabou fazendo com que eles parassem na praia.


Fonte: BBC

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Maré vermelha em Fortaleza, Entenda!!!



Maré vermelha na Barra

Causas da Maré Vermelha


       A floração de pequenas algas chamadas dinoflagelados, que representa um dos grupos mais abundantes no plâncton marinho, é uma das principais causas da maré vermelha e podem estar presentes neste evento outros microorganismos como as cianobactérias e diatomáceas.
       Os dinoflagelados pertencem a uma divisão das algas pirrófitas (Pyrrophyta) do grepo pyrrhos = fogo e phyta = planta, ou seja, planta cor de fogo. Este nome é devido à presença de pigmentos avermelhados no interior das células dessas algas.






      São seres unicelulares que possuem dois flagelos diferenciados. Um flagelo é orientado segundo o eixo da célula (longitudinal), e o outro flagelo rodeia a célula (transversal). O flagelo transversal é o que oferece maior locomoção para esta microalga e geralmente possui a forma de uma hélice. Sua reprodução pode ser assexuada por simples divisão e sexuada com a formação de gametas.


      Fatores como a temperatura, luminosidade e salinidade associados com níveis de nutrientes dissolvidos no mar (matéria orgânica), contribuem para que haja uma proliferação excessiva dos dinoflagelados, formando as manchas na água características deste fenômeno.
        O aumento deste fenômeno, segundo pesquisas, em termos de quantidade, intensidade e dispersão geográfica, está relacionado à poluição e ao processo de eutrofização das águas marinhas. A eutrofização ocorre pelo excesso de nutrientes (compostos químicos contendo nitrogênio ou fósforo) em uma porção de água do mar, causando o aumento de algas que dão origem ao fenômeno da maré vermelha.


Consequências


        A maré vermelha causa muitos malefícios aos habitantes marinhos e ao homem. As algas produzem e liberam toxinas que envenenam as águas, provocando a morte de peixes e em consequência diminuindo a atividade pesqueira.maré vermelha. Além disso, acontece o envenenamento de forma indireta. Alguns moluscos, como os mexilhões, não são afetados diretamente por estas toxinas. Porém, podem acumular estas algas em seus corpos, por possuírem como característica filtrar a água do mar e dela extrai seu alimento. Assim, intoxica outros animais como os pássaros, mamíferos marinhos e também seres humanos que se alimentam destes moluscos.
       Ao ingerir um molusco intoxicado, o ser humano pode desenvolver uma paralisia por envenenamento, envenenamento diarreico e envenenamento amnésico.


A luminosidade no mar também é impedida, devido ao bloqueio efetuado por camadas de algas, diminuindo a oxigenação da água e comprometendo a vida da fauna aquática.



segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Passeio do Colégio Estadual Dona Guiomar Barreto Meira ao Parque Nacional da Serra Da Capivara - São Raimundo Nonato - Pi.


O Parque Nacional Serra da Capivara está localizado no sudeste do Estado do Piauí, ocupando áreas dos municípios de São Raimundo Nonato, João Costa, Brejo do Piauí e Coronel José Dias. A superfície do Parque l é de 129.140 ha e seu perímetro é de 214 Km. A cidade mais próxima do Parque Nacional é Cel. José Dias, sendo a cidade de São Raimundo Nonato o maior centro urbano. A distância que o separa da capital do Estado, Teresina, é de 530 Km.



A maneira mais rápida de chegar ao Parque é através de Petrolina, cidade do Estado de Pernambuco, da qual dista 300 Km. A cidade de Petrolina dispõe de um aeroporto onde opera atualmente a Gol, e a BRA, ligando a região com Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. 



A criação do Parque Nacional Serra Capivara teve múltiplas motivações ligadas à preservação de um meio ambiente específico e de um dos mais importantes patrimônios culturais pré-históricos. As características que mais pesaram na decisão da criação do Parque Nacional são de natureza diversa:

- culturais - na unidade acha-se uma densa concentração de sítios arqueológicos, a maioria com pinturas e gravuras rupestres, nos quais se encontram vestígios extremamente antigos da presença do homem (100.000 anos antes do presente). Atualmente estão cadastrados 912 sítios, entre os quais, 657 apresentam pinturas rupestres, sendo os outros sítios ao ar livre (acampamentos ou aldeias) de caçadores-coletores, são aldeias de ceramistas-agricultores, são ocupações em grutas ou abrigos, sítios funerários e, sítios arqueo-paleontológicos; 




- ambientais - área semi-árida, fronteiriça entre duas grandes formações geológicas - a bacia sedimentar Maranhão-Piauí e a depressão periférica do rio São Francisco - com paisagens variadas nas serras, vales e planície, com vegetação de caatinga ( o Parque Nacional Serra da Capivara é o único Parque Nacional situado no domínio morfoclimático das caatingas), a unidade abriga fauna e flora específicas e pouco estudadas. Trata-se, pois, de uma das últimas áreas do semi-árido possuidoras de importante diversidade biológica;




- turísticas - com paisagens de uma beleza natural surpreendente, com pontos de observação privilegiados. Esta área possui importante potencial para o desenvolvimento de um turismo cultural e ecológico, constituindo uma alternativa de desenvolvimento para a região. 

Em 1991 a UNESCO, pelo seu valor cultural, inscreveu o Parque Nacional na lista do Patrimônio Cultural da Humanidade. Em 2002 foi oficializado o pedido para que o mesmo seja declarado Patrimônio Natural da Humanidade.



O Parque Nacional Serra da Capivara é subordinado à Diretoria de Ecossistemas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), tendo sido concluída a sua demarcação em 1990. Em torno do Parque foi criada uma Área de Preservação Permanente de dez quilômetros que constitui um cinto de proteção suplementar e na qual seria necessário desenvolver uma ação de extensão. Em 1994 a FUMDHAM assinou um convênio de co-gestão com o IBAMA em 2002 um contrato de parceria com a mesma instituição. 




Depois de criado, o Parque Nacional esteve abandonado durante dez anos por falta de recursos federais. Análises comparativas das fotos de satélite evidenciaram esse fato. Durante este período a Unidade de Conservação foi considerada “terra de ninguém” e como tal, objeto de depredações sistemáticas. A destruição da flora tomou dimensões incalculáveis; caminhões vindos do sul do país desmatavam e levavam, de maneira descontrolada, as espécies nobres. O desmatamento dessas espécies, próprias da caatinga, aumentou depois da criação do Parque, em decorrência da falta de vigilância. 

A caça comercial se transformou numa prática popular com conseqüências nefastas para as populações animais que começaram a diminuir de forma alarmante. Algumas espécies, como os veados, emas e tamanduás praticamente desapareceram. Estes fatos tiveram conseqüências negativas na preservação do patrimônio cultural. A falta de predadores naturais provocou um crescimento descontrolado de algumas espécies, como cupim ou vespas cujos ninhos e galerias destroem as pinturas.




As causas desta situação são em parte externas à região, mas também decorrem da participação da população que vive em torno do Parque. São comunidades muito pobres, algumas das quais exploravam roças no interior dos limites atuais do Parque. Estas populações dificilmente compreendem a necessidade de proteger espécies animais e vegetais uma vez que os seres humanos apenas logram sobreviver. Assim, a população local depredava as comunidades biológicas e o patrimônio cultural do Parque Nacional e áreas circunvizinhas, pela caça, desmatamento, destruição de colméias silvestres e a exploração do calcário de afloramentos, ricos em sítios arqueológicos e paleontológicos. 




Transformae - Colégio Estadual Dona Guiomar Barreto Meira

Com arte e cultura, virada educacional movimenta escolas estaduais “Tomando Partido Pela Es...