quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Ciência na Escola - Pesquisa sobre a Poluição do solo no bairro Parque Residencial em Juazeiro - BA



Os perigos da poluição do solo


Não só os ecologistas, mas autoridades e todo cidadão devem ficar atentos aos perigos da poluição que colocam em risco a vida no planeta Terra.

O lixo
No início da história da humanidade, o lixo produzido era formado basicamente de folhas, frutos, galhos de plantas, pelas fezes e pelos demais resíduos do ser humano e dos outros animais. Esses restos eram naturalmente decompostos, isto é, reciclados e reutilizados nos ciclos do ambiente.


Com as grandes aglomerações humanas, o crescimento das cidades, o desenvolvimento das indústrias e da tecnologia, cada vez mais se produzem resíduos (lixo) que se acumulam no meio ambiente.
Hoje, além do lixo orgânico, que é naturalmente decomposto, reciclado e "devolvido" ao ambiente, há o lixo industrial eletrônico, o lixo hospitalar, as embalagens de papel e de plástico, garrafas, latas etc. que, na maioria das vezes, não são biodegradáveis, isto é, não são decompostos por seres vivos e se acumulam na natureza.





Lixões a céu aberto
A poluição do solo causada pelo lixo pode trazer diversos problemas.
O material orgânico que sofre a ação dos decompositores - como é o caso dos restos de alimentos - ao ser decompostos, forma o chorume. Esse caldo escuro e ácido se infiltra no solo. Quando em excesso, esse líquido pode atingir as águas do subsolo (os lençóis freáticos) e, por conseqüência contaminar as águas de poços e nascentes.



As correntezas de água da chuva também podem carregar esse material para os rios, os mares etc.

A poluição do solo por produtos químicos


A poluição do solo também pode ser ocasionada por produtos químicos lançado nele sem os devidos cuidados. Isso ocorre, muitas vezes, quando as indústrias se desfazem do seu lixo químico. Algumas dessas substâncias químicas utilizadas na produção industrial são poluentes que se acumulam no solo.
Um outro exemplo são os pesticidas aplicados nas lavouras e que podem, por seu acúmulo, saturar o solo, ser dissolvidos pela água e depois ser absorvidos pelas raízes das plantas. Das plantas passam para o organismo das pessoas e dos outros animais que delas se alimentam.



Os fertilizantes, embora industrializados para a utilização no solo, são em geral, tóxicos. Nesse caso, uma alternativa possível pode ser, por exemplo, o processo de rotação de culturas, usando as plantas leguminosas; esse processo natural não satura o solo, é mais econômico que o uso de fertilizantes industrializados e não prejudica a saúde das pessoas.
A poluição do solo, e da biosfera em geral, pode e deve ser evitada. Uma das providências necessárias é cuidar do destino do lixo.


quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Visita à hidrelétrica de Sobradinho - Culminância do Projeto Bacias Hidrográficas do Brasil - Colégio Estadual Dona Guiomar Barreto Meira


Introdução

A bacia hidrográfica do rio São Francisco é formada pelo Rio São Francisco (principal curso d'água) e seus afluentes. Esta bacia estende-se pelas regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Ela é de extrema importância, pois é a principal fonte de água doce da região Nordeste do Brasil.
Informações Importantes:
- Estados onde ela está presente: Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal.
- O principal rio é o São Francisco (conhecido como "Velho Chico"), que nasce na Serra da Canastra e desagua no Oceano Atlântico. Ele percorre 2.700 km.
- Principais rios que formam a bacia: rio São Francisco (mais importante). Afluentes do rio São Francisco: rio Grande, rio Corrente, rio Paracatú, rio Paraopeba, rio Abaeté, rio das Velhas e rio Jequitaí.

- Área de drenagem: aproximadamente 640.000 km².
- Uso dos recursos hídricos da bacia: pesca, irrigação e geração de energia elétrica através de usinas hidrelétricas.
- Biomas presentes: Caatinga (na região nordeste da Bahia); Cerrado (entre o sudoeste de Minas Gerais e norte da Bahia); Mata Atlântica (na região da Serra da Canastra);
- Usinas Hidrelétricas presentes: Paulo Afonso, Três Marias, Xingó, Sobradinho e Itaparica.
- Quantidade de água recebida através das chuvas: média de 1.030 milímetros. 
































Banda Marcial Falcões da Bahia do Colégio Estadual Dona Guiomar Barreto Meira



Uma banda marcial (em inglês: marching band) é um grupo de músicos instrumentais que geralmente apresentam-se ao ar-livre e incorporam movimentos corporais - geralmente algum tipo de marcha - à sua apresentação musical. Esses grupos geralmente utilizam duas classes de instrumentos musicais: os metais, e a percussão. Sua música geralmente inclui um ritmo forte, adequado à marcha.

Além dos desfiles tradicionais, muitas bandas também apresentam field shows (do inglês, "apresentação em campo") em eventos especiais (como jogos de futebol americano) ou em competições de bandas marciais. As bandas marciais são geralmente categorizadas de acordo com a função e o estilo de field show que apresentam. Crescentemente as bandas marciais têm se apresentado em ambientes cobertos, com novos tipos de música e performances, aplicando-se então á não apenas bandas de marcha mas bandas de show.
Atualmente o número de bandas marciais é crescente e as apresentações desses tipos de banda ocorrem cada vez mais sendo muito comuns os festivais e encontros de banda e apresentações em estádios esportivos principalmente nos Estados Unidos e no Reino Unido.

Instrumentos

Os instrumentos geralmente divididos entre a musical e a percussão.
Musical: lira, trompete, trombone, bombardino, tuba, trompa, sousafone e saxofone.
Percussão: bumbo, caixa, tarol, prato e surdo ou bumbo leguero
Instrumentos adicionais - musical: flauta (tranversal e doce), clarineta, escaleta, pifaro gaita-de-fole entre outros.
Instrumentos adicionais - Percussão: quadri-ton, quinto-ton, meia-lua entre outros.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Feliz dia do Professor!!

Querido professor

Até Que Sejamos Mestres 
Não somos mestres de nada 
Somos aprendizes aprendendo 
Se não somos perfeitos como a fonte 
É porque nossa transformação é constante 
Como a da água do rio corrente.
Mestres são cristais lapidados 
Se às vezes não se mostram tão reluzentes 
É que nalgum momento emergente 
Se mostram feras,homens,”só gente”.
Vivendo e aprendendo 
Errando,acertando 
Nos escondendo e nos mostrando 
Muitas e muitas vezes,não somos,estamos.
Sagrar-se-á Mestre a alma 
Quando for capaz de tudo e de nada 
De cultivar,reconhecer,respeitar e amar 
As chagas adquiridas ao longo desta jornada.

Música na escola: entenda a importância no processo de ensino-aprendizagem / Colégio Estadual Dona Guiomar Barreto Meira

Uma das formas de estimular o desenvolvimento de alunos no processo metodológico é por meio da introdução da música na escola. Isso p...